BANNER GOVERNO

Travesti é assassinada com tiros na cabeça no meio da rua

13 dezembro, 2020

A travesti Marcela Estella Vieira, 24 anos, foi morta com dois tiros no queixo durante a madrugada desse sábado (12). Seu corpo estava caído na Rua José Trovão, bairro Cidade Alta, em Colniza (1022 km da Capital) e foi encontrado por um motorista que passava pelo local.

Marcela era o nome social da vítima que, na verdade, se chamava Marcelo Renato.

O cadáver foi encontrado por um motorista (nome não divulgado) que passou de carro pela região, viu a vítima caída na rua e parou para prestar socorro, no entanto, ao se aproximar para ajudar descobriu que a ‘mulher’ estava morta e acionou a Polícia Militar (PM).

Os militares se deslocaram ao ponto indicado pela testemunha, constataram a veracidade dos fatos e comunicaram as circunstâncias à Polícia Civil e Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), responsáveis pelos procedimentos no andamento da ocorrência.

Travesti é assassinada com tiros na cabeça no meio da rua

Em seguida, a PM saiu em rondas pela região, mas não encontrou nenhum suspeito que possa estar envolvido no crime.

Os peritos analisaram as condições em que o corpo foi encontrado, verificando  perfurações na região do queixo da vítima causadas por tiros. Periciaram ainda a região para coletar evidências que ajudem a identificar as circunstâncias do homicídio e quem teria cometido o assassinato.

LEIA TAMBÉM:

Homem de 29 anos é amarrado por bando, espancado e jogado no meio rua

Comerciante de 41 anos é assassinado com sete tiros na frente de bar em Porto Velho

Mulher 49 anos é assassinada a tiros em Cacoal

Motociclista morre após ser atingido por trem e arrastado por 50 quilômetros

No corpo de Marcela os peritos encontraram o celular da vítima e ainda duas porções de cocaína.

Após os trabalhos técnicos, o cadáver foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), onde passou por exame de necropsia, que vai identificar a causa clínica da morte.

Os investigadores acompanharam todo o trabalho da perícia, coletaram informações preliminares, conversaram com moradores da região e deram início às investigações.

Até a publicação desta reportagem ainda não havia informações sobre quem teria assassinado a travesti e o que teria motivado o crime.

 

Fonte: Reporter MT

Roagora Fanpage

Comentarios