Anúncios
BrasilDestaquePolícia

Sobrinho que matou e arrancou o coração da tia, havia tentado matar a própria mãe

Delegado classificou rapaz como 'repugnante, monstro e perturbado'. Sobrinho arrancou o órgão e o entregou para a filha da vítima.

O sobrinho que foi preso na noite dessa terça-feira (2) suspeito de ter matado a tia dele em Sorriso, a 420 quilômetros de Cuiabá, tinha se mudado para Mato Grosso há quatro dias depois de tentar matar a mãe dele em Campinas, São Paulo.

A informação foi divulgada pelo delegado André Ribeiro nesta quarta-feira (3). Maria Zélia da Silva, de 55 anos, foi morta a facadas dentro da própria casa, no bairro Vila Bela, pelo sobrinho Lumar Costa da Silva, de 28 anos.

Segundo o delegado, ele arrancou o coração da mulher, entregou o órgão para a filha da vítima e confessou o crime.

“É repugnante, ele é um monstro e é uma pessoa perturbada. Não se pode nem dizer que ele é um animal, porque nem um animal faz isso com outro”, declarou o delegado

Sobrinho que matou e arrancou o coração da tia, havia tentado matar a própria mãe
Maria Zélia da Silva, de 55 anos, foi assassinada em Sorriso — Foto: Arquivo pessoal

De acordo com a Polícia Civil, Lumar chegou a Mato Grosso na última sexta-feira (28) para morar com a tia. No mesmo dia que chegou o rapaz entregou currículos na cidade. A família diz que ele é considerado uma pessoa inteligente e fala duas línguas.

Lumar, atualmente desempregado, é técnico em redes de sistema e morava em São Paulo.

“No dia 21 de junho ele tentou matar a mãe dele em São Paulo, usando um facão. Por conta dessa situação ele veio para Sorriso onde foi morar com a tia”, explicou o delegado.

Maria Zélia abrigou o rapaz, mas o suspeito também começou a causar problemas para a família em Mato Grosso. A tia sabia do desentendimento com a mãe dele em São Paulo. O comportamento dele teria mudado, conforme familiares, depois da briga com a mãe.

Sobrinho que matou e arrancou o coração da tia, havia tentado matar a própria mãe
Lumar confessou o crime à família em Sorriso — Foto: Arquivo pessoal

“No final de semana ele arrumou uma confusão com vizinhos e, com um facão, ameaçou matar pessoas e crianças na rua. Depois desse acontecimento a tia [vítima] pediu para que a família tirasse ele da casa”, comentou o delegado.

Outro fator que influenciou a decisão de Maria Zélia foi a de que o sobrinho é usuário de drogas e começou a usar entorpecente na casa dela. Religiosa, a vítima se sentia incomodada com as atitudes do sobrinho.

Anúncios

Artigos relacionados

Sua opinião é muito relevante para nós do site Roagora

%d blogueiros gostam disto: