api 01 05
Ale 09-06 02

PF prende ex-diretor da Funai em Cacoal, durante operação contra extração de diamantes

2 julho, 2021

A investigação teve início em novembro de 2020, após ação da Polícia Federal que apreendeu 184 pedras


A Polícia Federal deflagrou na manhã dessa sexta-feira (01) a Operação Escavadores nos Estados de Rondônia e Mato Grosso. O objetivo da ação é combater um grupo criminoso envolvido com a extração  e comercialização ilegal de diamantes da Reserva indígena Roosevelt.

PF prende ex-diretor da Funai em Cacoal, durante operação contra extração de diamantes

Foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão preventiva, expedidos pela Justiça Federal de Vilhena que foram cumpridos na cidade de Cacoal e Sorriso, a 380 quilômetros de Cuiabá (MT).

A investigação teve início em novembro de 2020, após ação da Polícia Federal que apreendeu 184 pedras de diamantes extraídos da Reserva Indígena Roosevelt que estava na posse de um dos investigados que foi preso em flagrante.

LEIA TAMBÉM:

Familiares de Lázaro criticam polícia: “Por que não atiraram nas pernas dele?”

PF desarticula organização criminosa voltada para o tráfico de drogas e fabricação de cédulas falsas

Mulher é encontrada morta em casa com sinais de violência; suspeitos foram presos

Barco é encontrado à deriva com 20 mortos em rota de refugiados

Criança morre e dois ficam gravemente feridos após acidente na BR-364

Idoso dava presentes para crianças para poder estuprá-las

Homem preso acusado de engravidar enteada, admite relações sexuais com a garota quando ela tinha 13 anos

Pai e mãe são considerados suspeitos de matar e enterrar bebê

Mulher é morta a tiros em Urupá; assassino teria entrado na casa pelo telhado

A partir dessa apreensão, a Polícia Federal intensificou as investigações e identificou os principais membros desse grupo criminoso, dentre eles, um ex-diretor da Funai que foi preso preventivamente, em Cacoal, na deflagração da operação.

Foram apreendidos documentos e materiais de interesse para investigação, ouro, além de algumas armas irregulares.

Os investigados responderão por associação criminosa, usurpação de bem da União, extração ilegal de minério sem autorização do órgão competente, dano em unidade de conservação e falsidade ideológica.

Fonte: Folha do Sul

Roagora Fanpage

Comentarios