GOV 970x250 09 07

Mulher quase é morta a marteladas pelo marido em Ouro Preto

18 julho, 2022

Na manhã do último sábado (16) a Polícia Militar de Rondônia registrou na cidade de Ouro Preto do Oeste um crime de violência doméstica com emprego de bárbara brutalidade e covardia contra uma mulher de 33 anos, praticado pelo seu companheiro com quem convive há mais de 2 anos.

mulher - Mulher quase é morta a marteladas pelo marido em Ouro Preto

O fato aconteceu no Bairro Liberdade, na área central do município. O agressor D.E.P., de 45 anos, que em outa ocasião já bateu na companheira a pauladas, não foi localizado pela PM e escapou do flagrante.

A vítima C.S.A. encontra-se hospitalizada no Heuro, em Cacoal, e na tarde desta segunda-feira passou por exame de tomografia computadorizada em razão da dor de cabeça constante que ela sente desde que foi espancada com marteladas na cabeça.

O motivo que teria levado o agressor a desferir marteladas contra a sua companheira, segundo foi revelado à autoridade policial, foi por ele ter visualizado no celular dela mensagens de WhatsApp com postagens dela louvando em uma igreja que frequenta.
Ele pediu que ela apagasse as postagens da Congregação do seu perfil e status do WhastApp, e como não foi atendido de imediato partiu pra cima de C. com um martelo e começou a bater na cabeça dela.

A vítima foi agredida com golpes de martelo na cabeça e rosto pelo amasio enfurecido, e mesmo sangrando muito conseguiu se desvencilhar dele, correu para a rua gritando por socorro. Um grupo de pessoas que passava de veículo pelo local socorreu a mulher e a levou a um hospital particular que fica próximo.

A Polícia Militar foi acionada e após ouvir a vítima o motivo dessa agressão, que é uma de muitas outras – entre pauladas, tapas e outras agressões, ameaçadas veladas e xingamentos – é extremamente banal e com teor de intolerância religiosa

As agressões contra a mulher eram frequentes, porém ela nunca registrou ocorrência ou denunciou, temendo pelas ameaças que eram proferidas. A Polícia Militar realizou diligencias no intuito de localizar e deter o agressor, porém não logrou êxito. Ela afirmou que ele não permite que ela poste fotos em status de nenhuma rede social.

Os filhos da vítima não presenciaram essa última atitude de D.E.P. porque foram deixados pela mãe em uma vizinha momentos antes dela apanhar. Depois do fato ocorrido, a Polícia Militar acionou o Conselho Tutelar.

A reportagem do site Correio Central recebeu nesta tarde segunda-feira que o marido de C. teria pegado a chave da casa que a pessoa que estava cuidando da casa, foi no endereço e retirou todos os móveis que a vítima diz pertencerem a ela.

Ele também levou todos os documentos pessoais dela, inclusive a mulher está encontrando dificuldades no Heuro para determinados procedimentos porque ela não tem documentos de identificação.

 

Fonte:  Correio Central

Roagora Fanpage

Comentarios