DestaqueRondônia

Marinha proíbe navegação noturna no Rio Madeira devido ao nível baixo das águas

A proibição segue por tempo indeterminado no trecho de Porto Velho a Calama e na passagem do Pedral dos Marmelos.

sexta-feira, 04/12/2020

Devido o baixo nível do Rio Madeira a Delegacia Fluvial de Porto Velho publicou uma portaria proibindo a navegação noturna para comboios e todas as embarcações que possuam calado máximo acima de 2,3 metros, no trecho de Porto Velho ao distrito de Calama, considerado o mais crítico, e na passagem do Pedral dos Marmelos, por tempo indeterminado em razão do nível mais baixo.

Atenção redobrada

Além da proibição, a portaria recomenda a todas as embarcações que navegam no rio, uma atenção redobrada nos trechos críticos, neste período. Segundo a Marinha do Brasil, na sexta-feira (14), o nível do rio marcou a cota de 3,54 metros.

O capitão dos portos Rodolfo Aurélio Santos orienta os comandantes e tripulantes que utilizam o meio de transporte fluvial, sobre os cuidados necessários durante esse período, quando surgem muitas praias, pedras, e o perigo aumenta na época de vazante. “A atenção precisa ser redobrada principalmente no período noturno que é quando a visibilidade diminui”, ressaltou.

Passageiros

A Marinha do Brasil alerta ainda, sobre a quantidade de passageiros em cada embarcação durante a viagem no rio, e os itens de segurança. A embarcação que for flagrada transportando um número de pessoas acima do permitido, o condutor será obrigado a retornar, podendo ser multado em até R$ 3.200.

Diariamente, as equipes realizam fiscalizações verificando se as embarcações possuem coletes salva vidas para todos os tripulantes, se estão em boas condições de uso, se o condutor é habilitado e as condições gerais da embarcação.

LEIA TAMBÉM:

Homem e neto desaparecem em rio durante passeio

Jovem morre afogado na frente de familiares e amigos; eles acreditavam ser uma brincadeira

Em caso de irregularidades, por exemplo, a falta de colete salva-vidas para todos os tripulantes, a denúncia pode ser feita através do 185, no 99986-7549 ou 99987-064 , que uma equipe é enviada para averiguar a denúncia.

Diário da Amazônia

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Fechar