CacoalDestaqueDestaque CacoalPolítica

Justiça desconsidera arrependimento de prefeita Glaucione Rodrigues e ela não poderá participar das eleições de 2020 em Cacoal

segunda-feira, 26/10/2020

A juíza Emy Karla Yamamoto Roque, da 11ª Zona Eleitoral de Cacoal, não aceitou a retratação da prefeita Glaucione Neri, que no último dia 15 desistiu de renunciar como candidata a reeleição na cidade.

Ela, que está presa em Porto Velho juntamente com outros três prefeitos e um ex-deputado por envolvimento em um suposto esquema de pagamento de propina, encaminhou um documento à Justiça dizendo que não queria mais disputar. Dias depois desistiu dessa renúncia, alegando que sua nova decisão tinha aval de seu partido, o MDB, a quem caberia dar a última palavra.

Paralelamente, a própria Coligação da prefeita presa deliberou e indiciou um novo candidato: Marco Aurélio Blaz Vasques.

Na decisão, a juíza entendeu diferente de Glaucione e afirmou que a retratação de sua renúncia não tem valor e não é aceita na Justiça Eleitoral, uma vez que feita de acordo com a legislação e até com firma reconhecida.

LEIA MAIS

Prefeitos e ex-deputado presos em esquema de propina são transferidos para Porto Velho

A íntegra da decisão que mandou prefeitos para a cadeia; Lebrão pediu R$ 2 milhões para a filha

Em uma série de exposições em 8 páginas, a magistrada indefere cada um dos pedidos apresentador Glaucione e ao final decide tirá-la da disputa eleitoral em Cacoal.

Em uma série de exposições em 8 páginas, a magistrada indefere cada um dos pedidos apresentador Glaucione e ao final decide tirá-la da disputa eleitoral em Cacoal. Confira

Rondoniagora

 

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Fechar