DestaquePolícia

Irmão vende a própria irmã por R$1 e adolescente é perseguida por mais de mês

O homem tentou puxar assunto com a menor e a chamando pelo nome, mostrando que ‘a conhecia’.

Um menino de apenas 13 anos, nome não divulgado, ‘vendeu’ a própria irmã, 15, por R$ 1 e a adolescente passou a ser perseguida por um ‘desconhecido’ de 45 anos por mais de um mês no município de Nova Guarita (676 km de Cuiabá).

O fato foi descoberto na última quarta-feira (08), quando a menor e a mãe foram à PM denunciar o caso.

De acordo com a vítima, ela percebeu o acusado ‘atrás’ dela, principalmente, todas as quartas-feiras quando ia à escola buscar as tarefas para os irmãos. Nesses dias, por duas vezes, o homem tentou puxar assunto com a menor e a chamando pelo nome, mostrando que ‘a conhecia’.

Assustada, a adolescente contou o que estava acontecendo à mãe e as duas foram ao Núcleo da Polícia Militar (NPM) denunciar o fato, onde o Conselho Tutelar ainda foi acionado para acompanhar o caso, já que se trata de crime envolvendo menor de idade.

A adolescente relatou os fatos novamente na unidade policial, para que as conselheiras e os policiais soubessem com detalhes sobre os fatos e ainda repassou o endereço do acusado.

A PM se deslocou ao endereço, onde encontrou o homem e este teria ficado completamente alterado e tentado reagir à abordagem policial, quando os militares precisaram imobilizar e algemar o ‘suspeito’.

LEIA TAMBÉM:

Suspeitos de sequestrar, torturar e matar o jovem se apresentaram na delegacia em Ji-Paraná

O homem foi colocado na viatura e encaminhado ao NPM, onde prestou esclarecimentos sobre o fato. O ‘suspeito’ negou a perseguição e teve que ser liberado.

Porém, as conselheiras estavam acompanhando o fato junto à família e as profissionais conseguiram descobrir que o problema começou após o irmão da adolescente, de 13 anos, vender a menor ao acusado, que pagou R$ 1.

As conselheiras relataram o caso à PM que foram novamente atrás do homem e a ocorrência registrada por crime de corrupção de menores.

O documento foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil, responsável por investigar o crime.

Fonte: RepórterMT

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Fechar