Idosa é presa por permitir abuso da neta em troca de comida

16 dezembro, 2021

Uma mulher de 78 anos foi presa no município de Normandia, em Roraima, na quarta-feira (15/12), por envolvimento no estupro da própria neta. O caso ocorreu em 2012 e, segundo a Polícia Civil de Roraima (PCRR), a criança tinha apenas 11 anos de idade na época.

Idosa é presa por permitir abuso da neta em troca de comida

O crime foi realizado na comunidade indígena da Jiboia, e foi denunciado à polícia pelo Conselho Tutelar da região. Segundo a PCRR, a criança foi abandonada pela mãe e passou a viver com a avó, ajudando nos afazeres domésticos.

As investigações mostram que, em troca de alimentos, a avó era conivente com crimes sexuais praticados contra a menina. Um agricultor de 78 anos é um dos acusados de estupro e, de acordo com a polícia, “praticou por diversas vezes o ato de conjunção carnal com a menina”

“A avó, presa hoje, era conivente com os abusos praticados contra a menina, geralmente permitia a prática do crime em troca de sustento, como alimentos”, explicou o delegado Rodrigo Gomides.

LEIA TAMBÉM:

Três crianças e um casal morrem em grave acidente na BR-040

Pai e madrasta da menina Lauanny Hester são condenados a 57 anos e 4 meses de prisão

Dona de imóvel agride violentamente inquilina em Ji-Paraná

Passageira de motocicleta morre atropelada por carro na BR-364

Pai paga para que homens estuprem o próprio filho com deficiência

Mãe flagra filha de cinco anos sendo estuprada pelo avô em Porto Velho

Policiais da DEAM de Rolim de Moura prendem suspeito de espancar mulher e seus filhos

Avô e neta de 12 anos são mortos a tiros em Rondônia

Além disso, uma denúncia do Ministério Público aponta que o tio da garota, um homem de 27 anos de idade, também praticava violência sexual com a permissão da avó.

“Em um dos relatos colhidos, uma testemunha afirmou ter visto o tio arrastar a menina para a beira de um igarapé e ter ficado nu enquanto a menina gritava pedindo socorro. A testemunha chamou a avó da menina, mas a mulher ao ver a cena teria dito ‘deixa, isto é sangue de preto mesmo’, permitindo que o fato se consumasse”, informou o delegado.

A avó, o tio e o agricultor foram encaminhados à Delegacia de Normandia, onde aguardam para serem encaminhados à audiência de custódia.

Fonte: METRÓPOLES

Roagora Fanpage

Comentarios