Energisa
ALE 01 04 970x250

Em Vilhena, menina conta à polícia que era abusada sexualmente pelo próprio pai

8 abril, 2022

Na noite de ontem, uma guarnição da Polícia Militar foi acionada e compareceu à Praça do Mensageiro, na avenida Paraná, em Vilhena, onde havia informações sobre abusos sexuais contra uma menininha de apenas 09 anos.

Em Vilhena, menina conta à polícia que era abusada sexualmente pelo próprio pai

Em contato com a própria garota, os militares ouviram a versão dela: a pequena vítima contou que estava no local junto com algumas amigas, quando viu o pai, que é morador de rua e usuário de drogas. O homem está separado da mãe da criança.

Ingenuamente, a menina decidiu dar um abraço no pai, que aparentava estar sob efeito de bebidas alcoólicas e provavelmente também de drogas. Ao tentar se desvencilhar do acusado, a menina foi agarrada pelo braço por ele.

Após apalpar as nádegas da criança, o homem teria dito a ela: “vamos ali que vou lhe mostrar um negócio que você vai gostar”. Assustada, a garotinha conseguiu se livrar do assédio paterno e acionar a polícia, mas o homem já havia fugido quando a guarnição chegou ao local.

E aí veio a informação mais chocante: a menina contou que desde o ano de 2020, quando ela ainda era mais nova, o pai a obrigava a praticar sexo com ele. Os abusos só pararam no ano passado, quando a mãe da vítima denunciou o estuprador que, desde então, passou a morar nas ruas de Vilhena.

O Conselho Tutelar foi acionado para acompanhar o registro da ocorrência, por envolver menor de idade. A guarnição foi até a casa onde mora a mãe da menina e constatou que o lugar é insalubre. No local, além da mulher, havia outros homens ingerindo bebidas. A garotinha revelou que é comum o uso de drogas na casa da mãe, e as cenas são presenciadas diariamente pela criança.

Quando estavam a caminho da Unisp, a guarnição recebeu ligação dando conta de que o homem acusado de violentar a filha estava novamente na praça. A equipe retornou ao logradouro público e o prendeu em flagrante, apresentando-o na Delegacia da Polícia Civil (Unisp).

Roagora Fanpage

Comentarios