api 01 05
Ale 09-06 02

Avó e mãe são presas após manterem menino autista em canil

19 maio, 2021

Duas mulheres foram presas, nesta segunda-feira, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, sob a acusação de manterem um menino autista, de 8 anos, em cárcere privado. Mãe e avó da criança, a dupla prendia a vítima em um canil na parte externa da casa, com a porta trancada. Segundo a polícia, o espaço soma menos de 2 metros quadrados e tem, de modo geral, péssimas condições sanitárias.

Avó e mãe são presas após manterem menino autista em canil

As investigações tiveram início há cerca de dez dias, depois que uma denúncia anônima, que incluía fotos do menino trancado no canil, foi remetida à Polícia Civil, ao Conselho Tutelar e a outros órgãos. Contudo, como a residência da família fica em um dos pontos mais críticos da comunidade Gogó da Ema, uma das favelas mais violentas da cidade, foi preciso elaborar uma estratégia que permitisse o resgate da criança sem expor outros moradores ao risco de uma operação.

Agentes da 54ª DP (Belford Roxo) começaram, então, a monitorar a movimentação das suspeitas. Nesta segunda-feira, enquanto as duas eram presas em flagrante pelos policiais civis no Centro de Belford Roxo, uma equipe do Conselho Tutelar do município, autorizada pela Justiça, foi até o local e resgatou o menino.

De acordo com o delegado José Salomão Omena, titular da 54ª DP, a vítima apresentava inanição, desidratação e diversos machucados pelo corpo. Um exame de corpo de delito, que atestará a gravidade das lesões, já foi solicitado.

LEIA TAMBÉM:

Homem é assassinado após pedir para traficantes pararem de fazer barulho

Recém-nascido é encontrado dentro de caminhão de lixo e por pouco não é prensado

“Cheirador de calcinhas” invade casa e acaba amarrado em poste

Pais são presos suspeitos de entregarem sua filha para ser abusada sexualmente

Mãe é presa acusada de maus-tratos contra o filho de 3 anos

Jovem é estuprada e tem cabeça esmagada até a morte em cemitério; cenas fortíssimas

Idoso morre após perder controle de caminhonete e cair em represa

– Ainda não sabemos há quanto tempo ele estava nessas condições, mas, pela gravidade do quadro de desnutrição, acredito que não era uma situação recente. O menino era tratado como um bicho. O animal, ali naquele canil, era ele – afirma o delegado, que continua: – O autista precisa de todo um acompanhamento social. Daquele jeito, só iria regredir.

Fonte: Folha Max

Roagora Fanpage

Comentarios