BrasilDestaquePolícia

Advogado é proibido de se aproximar de médica sob risco de ser preso após agressão, estupro e ameaça

Cleverson Campos Contó foi denunciado por Laryssa e diversas outras ex-companheiras

sexta-feira, 04/12/2020

O juiz Jeverson Luiz Quinteiro, da 2ª Vara de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher da Capital, concedeu uma medida protetiva para a médica Laryssa Moraes contra o ex-marido, o advogado Cleverson Campos Contó, que não pode se aproximar dela. Contó é investigado por denúncias de agressões físicas, estupro, ameaça, entre outros, feitas por várias mulheres, incluindo a médica.

O magistrado entendeu que o risco de dano ficou comprovado pela vítima e que os fatos narrados no boletim de ocorrência demonstram a situação de risco que passa Laryssa. O intuito da medida, conforme a decisão, é colocar  a médica a salvo de eventuais novas investidas.

Contó está proibido de se aproximar e manter contato por meio de comunicação, de Laryssa, seus familiares, amigos e testemunhas do caso. Ele não pode frequentar residência e trabalho da médica, residência de parentes e amigos, como forma de preservar sua integridade física e psicológica. O descumprimento prevê multa diária de R$ 200.

Em setembro deste ano, quando surgiram as denúncias, o advogado, acusado por pelo menos 10 pessoas, diz que é vítima de uma armação de suas ex-namoradas.

Disse que vai processar as “supostas vítimas” por extorsão e denunciação caluniosa.

Outro Lado 

Sobre a medida protetiva deferida pelo juiz Jeverson  a favor da médica Laryssa Moraes, a assessoria do advogado Cleverson Contó destaca que o advogado faz questão de ir até o Fórum, para que seja intimidado pessoalmente e almeja colaborar com a Jusiça. A assessoria jurídica também analisará o processo para saber qual será o melhor caminho a ser tomado diante da decisão liminar;

“É importante dizer que o processo que culminou na decisão é antigo e não possue contemporaneidade mediante as regras que foram aplicadas. A não contemporaneidade fica evidente na punição ajuizada pelo magistrado, que consiste em uma multa diária de R$ 200 caso haja descumprimento da decisão, algo que se distancia das sanções que o Poder Judiciário vem aplicando aos casos mais recentes – grosso modo, com medidas privativas de liberdade”, diz trecho da nota.

A denúncia da médica 

A médica Laryssa fez um desabafo em sua página no Instagram sobre as agressões durante relacionamento com o advogado, Cleverson Campos Contó, com quem foi casada. Através dos stories, Laryssa revelou que estava sendo ameaçada de morte por expor o caso e reforçou que decidiu não ficar calada no momento em que outras mulheres denunciaram terem sido vítimas de violências física, sexual e psicológica, cometidas pelo advogado.

“Estou tendo coragem de falar o nome dessa pessoa, mesmo com medo de morrer, porque sim, estou sendo ameaçada, porque só ontem mais quatro vítimas apareceream”, revelou a médica.

LEIA TAMBÉM:

Criança de 8 anos é estuprada por adolescente em casa no Vale do Anari

“Ao invés de não falar nada e continuar com esse peso, me senti confortável de vir dividir com vocês que esse senhor dos stories anteriores, ele que me espancou brutalmente. Ele que quebrou o meu nariz, ele que deslocou minhas retinas, ele que pegou um pen drive e quis me estuprar com ele. Foi ele que fez tudo isso comigo”, contou.

Desde então, Laryssa formalizou um processo na 2ª Vara de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher da Capital. Segundo a defesa da médica, o processo possui diversas testemunhas, exames, boletins de ocorrências e outras provas que demonstram os atos de violência praticados.

Repórter MT

Roagora Fanpage

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Fechar