DestaquePolícia

Adolescente era estuprada pelo padrasto há um ano; exames confirmaram abusos

Homem ameaçava matar a mãe da garota de 13 anos se ela revelasse a violência sexual

terça-feira, 01/12/2020

Uma menina de 13 anos denunciou o padrasto à mãe por estupros que vinha sofrendo há um ano. A vítima relatou em detalhes como o homem a ameaçava e aliciava. Segundo a jovem, a prática acontecia desde quando ela tinha 12 anos. O fato foi registrado na semana passada, cidade de Mato Grosso a 110 km de Vilhena.

Camisinhas escondidas no armário, mensagens enviadas ao celular com falas obscenas e ameaças eram coisas as quais a jovem mantinha segredo por medo. O silêncio foi quebrado como um pedido de socorro da menina, que aproveitou a ausência do abusador para delatar o que sofria para mãe.

“Estou cansada disso”, foi o que disse a menina para sua mãe para começar a conversa. Em detalhes ela contou tudo o que vinha sofrendo nas mãos do padrasto, um caminhoneiro de 31 anos.

A mãe da menina procurou ajuda e fez um boletim de ocorrência contra o marido. Segundo o registro, há algum tempo ela observa a atitude do homem com sua filha em casa. A mulher contou que o suspeito não saía do quarto da menina e estava sempre pegando na mão de sua filha.

A menina disse à polícia que recebia constantemente mensagens do padrasto, porém o suspeito apagava todas do seu telefone para não correr o risco de que a mãe lesse. Ele a ameaçava dizendo que se ela contasse algo a alguém, ele mataria a mãe dela.

LEIA TAMBÉM:

Homem morre após passar mal em quintal de casa em Rondônia

DROGA NO AVIÃO: Veículo utilizado na fuga de criminosos é encontrado

Uma equipe foi até a casa da família, mas não encontrou o homem. Na residência, a garota mostrou aos policiais onde o padrasto escondia as camisinhas em seu armário.

Um exame de corpo delito confirmou o ato criminoso. A Polícia localizou e prendeu o suspeito no dia seguinte à denúncia, quando o acusado saia de um escritório de advocacia.

A menina está sendo atendida pelo sistema de proteção a vítimas. Mãe e filha recebem atendimentos psicológicos.

Folha do Sul Online

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Fechar