GOV 01 09
ALE 01 09

Adolescente é espancada até a morte por parentes e pendurada em uma ponte por usar jeans

27 julho, 2021

Uma adolescente foi espancada até a morte por familiares e pendurada em uma ponte por usar jeans durante um ritual religioso.

Adolescente é espancada até a morte por parentes e pendurada em uma ponte por usar jeans

 

O assassinato de Neha Paswan, de 17 anos, ocorreu recentemente em Deoria (estado de Uttar Pradesh, Índia), segundo relatos citado pelo “Sun”.

A mãe da jovem, Shakuntala Devi Paswan, disse que sua filha havia sido golpeada duramente com varas por um avô e tios após uma briga por causa das suas roupas em casa.

“Ela manteve um jejum religioso de um dia inteiro. À noite, ela vestia calça jeans e uma blusa e realizava seus rituais. Quando seus avós se opuseram ao seu traje, Neha respondeu que jeans eram feitos para ser usado e que ela o usaria”, explicou Shakuntala à BBC.

Ela acrescentou que a discussão aumentara e havia resultado em violência física.

LEIA TAMBÉM:

Homem sequestra e estupra criança de 9 anos que pedia esmolas com a mãe nas ruas da cidade

Mulheres ficam feridas após capotamento de caminhonete na BR-319

Investigador da Polícia Civil de 45 anos morre em acidente gravíssimo

Pai se irrita com choro e mata bebê; mãe confessa sessões de tortura

Homem é assassinado a facadas na frente dos filhos ao sair da casa da irmã

Vítima de feminicídio foi jogada ainda viva do alto de ponte pelo ex-namorado

Menina é dopada e estuprada por casal durante passeio com avós

Adolescente de 16 anos é executado com 10 tiros no meio da rua

Grave acidente em Rondônia vitimiza casal e sua filha

A mãe acrescentou que, enquanto sua filha estava inconsciente, seus sogros chamaram um riquixá (veículo típico da região) e a levaram para um hospital.

“Eles não me deixaram acompanhá-los, então alertei meus parentes, que foram ao hospital distrital procurando por ela, mas não conseguiram encontrá-la”, disse ela.

Na manhã seguinte, a mãe de Neha soube que o corpo de uma menina estava pendurado em uma ponte sobre o rio Gandak.

A polícia local investiga o caso de feminicídio. Suspeita-se de envolvimento de dez pessoas no crime, incluindo o motorista do riquixá, que foi preso juntamente com os dois avôs e um tio da vítima.

O pai de Neha, Amarnath Paswan, um operário de construção em Ludhiana 9Índia), voltou para casa após a tragédia, dizendo que trabalhou muito para mandar os seus filhos para a escola.

A mãe de Neha disse que a sua filha queria ser policial, mas “seus sonhos nunca seriam realizados agora”.

Fonte: Extra Globo

Roagora Fanpage

Comentarios